Escolha uma Página
Audiências Públicas mobilizam o Litoral de Santa Catarina contra a exploração de petróleo

Audiências Públicas mobilizam o Litoral de Santa Catarina contra a exploração de petróleo

O Instituto Arayara, junto ao Observatório do Petróleo, está mobilizando uma série de audiências públicas pelo litoral de catarinense, para debater os impactos socioambientais da 17ª rodada de leilão de petróleo, que vai acontecer no dia 07 de outubro no Rio de Janeiro.

Para informar a população sobre os riscos deste empreendimento da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) participe das seguintes audiências:

29/09 (Qua) – Araranguá, às 19:00;
30/09 (Qui) – Bombinhas, às 14:00;
01/10 (Sex) – Itajaí, às 14:00.

Mais encontros estão sendo organizados junto ao poder público e sociedade civil. Você está fazendo parte deste movimento?

Entre no site para assinar e apoiar a campanha: http://soslitoralsc.arayara.org/



#marsempetróleo #leilãofóssilnão #renováveisjá #zerofósseis #mudançasclimáticas #defensoresclimáticos ##defensoresdanatureza #fépazeclima

Ato na Ponte Hercílio Luz quer evitar exploração de petróleo no litoral catarinense

Ato na Ponte Hercílio Luz quer evitar exploração de petróleo no litoral catarinense


Dia – 10/07/2021 Local – Ponte Hercílio Luz, Florianópolis (SC) Horário – 10h

Realização – Observatório do Petróleo e Gás e Instituto Arayara

Atividades – Colocação de faixas, sensibilização e mobilização da sociedade para os extremos riscos sociais, ambientais e econômicos da exploração de petróleo no litoral de SC
Contatos no local – Suelita Racker (Dir.Inst. Arayara – 41- 98887-2352) e Marcos Espíndola (Assessor – 48- 99919-1525). Assessoria de imprensa – Carlos Tautz – 21-99657-8835
Contexto – O governo federal, através da Agência Nacional do Petróleo (ANP), pretende realizar a 17ª Rodada de Licitações e vender áreas para exploração de gás e petróleo em quatro bacias sedimentares marítimas, entre elas Santos e Pelotas, no litoral catarinense, em outubro de 2021.

  • O Instituto Arayara evidencia vários problemas no processo licitatório, além do fato de a exploração de petróleo causar atividade sísmica; colisão com embarcações ocasionando vazamentos de óleo; introdução de espécies exóticas invasoras; impacto na fauna e flora marinha; impacto na economia (pesca e turismo). A sociedade catarinense não sabe o que está acontecendo, pois apenas uma audiência pública foi realizada.
  • Em 25 de junho, a juíza Marjôrie Cristina Freiberger, da 6ª Vara da Justiça Federal em Florianópolis (SC), excluiu da 17ª Rodada (a ser realizada em 7 de outubro) a oferta dos blocos localizados no litoral de SC, até que sejam elaboradas Avaliações Ambientais de Áreas Sedimentares. A decisão atendeu pedido do Instituto Arayara, em ação civil pública com participação do Observatório do Petróleo e Gás, Observatório do Clima e da COESUS – Coalizão Não Fracking Brasil (mais informações em https://arayara.org/decisao-da-6a-vara-da-justica-federal-de-florianopolis-suspende-ofertas-de-blocos-da-bacia-de-pelotas-na-17a-rodada-de-licitacoes-de-petroleo-e-gas-natural ).Use máscara, álcool em gel e mantenha a distância segura recomendada pelas autoridades.

MarSemPetróleo #LeilãoFóssilNão #ObservatóriodoPetróleo #InstitutoArayara #EmDefesaDaVida