Escolha uma Página

Ao longo destes 29 anos, o Instituto Internacional Arayara participou de diversas campanhas nacionais e internacionais que defendem a vida em todas as suas formas. Em meio a tantos eventos que expõem a falta de responsabilidade e consciência humana, iniciamos uma colaboração conjunta com a Agência de Notícias de Direitos Animais (ANDA) e demos mais um passo na luta para defender aqueles que não têm voz.

Como uma organização que preza pela seriedade e comprometimento, defendendo a vida e a importância de lutar através da informação, o Instituto Internacional Arayara entende que a ANDA desenvolve um trabalho consistente, profundo e fundamental em um país onde o direito dos animais é visto como uma luta secundária – quando o tema deveria estar no centro de todos os debates que envolvem meio ambiente, sustentabilidade e justiça.

É fundamental o trabalho da primeira agência de notícias do mundo com foco em direito dos animais e proteção ambiental, que não só informa a sociedade sobre o tema, mas denuncia e provoca as autoridades à prática de ações concretas que apontem para a mudança e evolução em cima do assunto.

“Antigamente, não se discutia os interesses e direitos dos animais. Viemos para revelar na mídia os bastidores dessa realidade. Quando colocamos o debate na grande imprensa, também ajudamos a elevar o assunto e, com isso, novas leis foram solicitadas, se abriram discussões sobre esse tema que não eram debatidas. E passamos ao jornalismo de ação, para além do fato noticiado, também atuando no combate do foco da notícia, através da judicialização e ações públicas”, ressalta Silvana Andrade, jornalista, fundadora e presidente da ANDA, criada há 13 anos.

“O trabalho desenvolvido pela Arayara é de extrema importância e absolutamente sério, e vejo essa nossa soma de forças a geração de resultados multiplicados. É uma parceria com uma perspectiva muito promissora”, complementa

A luta contra a 17ª Rodada de blocos da ANP

A parceria com a ANDA se inicia com a campanha em defesa da baleia-azul, que surgiu a partir dos relatórios técnicos produzidos pela Arayara em conjunto com o Observatório do Petróleo e Gás, referentes à 17ª rodada do leilão de blocos para a exploração de petróleo e gás da Agência Nacional de Petróleo (ANP), prevista para ser realizada no dia 7 de outubro.

Verificamos que a baleia-azul está entre as dezenas de animais criticamente em perigo de extinção e que serão diretamente impactados por este leilão. Entendemos que existia uma necessidade de realizar uma campanha específica para dar voz à baleia e às espécies marinhas, muitas delas tão raras, ameaçadas pela 17ª rodada.

Quando falamos da baleia-azul, estamos falando do maior animal do planeta. Um ser majestoso que emite pulsos e gemidos para se comunicar com sua espécie e navegar nas profundezas do oceano. As baleias-azuis podem ouvir umas às outras a até 1.600 km de distância.

Grandes mamíferos, como a baleia-sei. a baleia-azul, a baleia-comum e o cachalote, são espécies sensíveis à atividade sísmica.

Por estarem ameaçadas de extinção e terem suas zonas de ocorrência expostas à exploração de petróleo, a ANP admite a responsabilidade de agravar o risco e a Arayara assume – agora com ANDA – a frente de combater essa ameaça aos nossos seres marinhos, que não têm como se defender da depredação causada pelo ser humano.

“A ANDA é referência em notícias quando se trata de proteção aos direitos dos animais, e por isso para nós não há nenhum parceiro melhor para divulgar e informar sobre os riscos que a baleia-azul e outros mais de 60 animais marinhos estão sofrendo com a 17a Rodada e outras rodadas de oferta de blocos de petróleo e gás no Brasil. Esperamos que nossa parceria seja longa, e que juntos possamos salvar milhares de animais do sofrimento e uma possível extinção”, ressalta Nicole Oliveira, diretora da Arayara.org.

Conheça mais sobre o trabalho realizado pela ANDA acessando o siteInstagramFacebookLinkedInYouTube e Twitter da organização.FacebookTwitterEmailShare

Compartilhe a informação.
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •