Escolha uma Página

CAMPANHAS

Criamos e participamos de diversas campanhas, nacionais e internacionais, que defendem o direito à vida.
Nos unimos com outras organizações e com a sociedade, somando forças e levando nossas pautas a importantes conquistas.

 

Leilão atinge diretamente regiões onde a Baleia Azul e outras dezenas de espécies em extinção têm seu lar. A Baleia Azul corre ainda mais risco por conta da irresponsabilidade da Agência Nacional do Petróleo e Gás (ANP).

ASSINE

 

A Agência Nacional de Petróleo (ANP) quer leiloar áreas que impactam o arquipélago e a vida da região. Fernando de Noronha, Atol das Rocas e toda sua biodiversidade correm perigo.

APOIE

 

O Instituto Internacional ARAYARA e o OPG – Observatório do Petróleo e Gás entraram com 2 ações civis públicas contra o leilão de áreas para exploração de petróleo da ANP. Vamos defender nosso patrimônio e evitar que a indústria do Turismo e da Pesca de Santa Catarina paguem a conta.

ASSINE

 

O governo brasileiro, ao realizar leilões de energia fóssil, vai na contramão da maior comunidade científica mundial e fica cada vez mais longe de cumprir o que foi assinado no acordo de Paris.

SAIBA MAIS

A Coalizão Não Fracking Brasil visa mobilizar toda a sociedade contra o fraturamento hidráulico (fracking) – tecnologia utilizada para a extração não-convencional de gás de xisto que apresenta grandes riscos ambientais. Esta campanha foi criada para, juntos, bloquearmos a entrada do fracking no Brasil.

O Observatório do Carvão Mineral é uma instituição sem fins lucrativos dedicada a criar, mapear e divulgar informações da América Latina e de todo o mundo sobre a mineração do carvão. O OCM é destinado a desenvolver pesquisas e ações que contribuam efetivamente para transição energética, ou seja, para o uso de energias limpas.

Petróleo e gás são combustíveis fósseis, que estão entre os principais causadores e aceleradores das mudanças climáticas. Precisamos falar sobre os impactos do seu uso e exploração. Para isso criamos o Observatório do Petróleo e Gás (OPG) e trabalhamos para conter as mudanças climáticas e promover a justiça ambiental e social.

O projeto, criado pelo deputado Paulo Bengtson, abre precedentes para o aumento da exploração animal e, se for aprovado e posteriormente sancionado como lei, favorecerá diretamente maior tortura, violência e abuso dos animais. Ou seja: a barbárie será normalizada.

A Resolução CNPE nº 17/2017, através da nota técnica conjunta Nº 17/2020/ANP autoriza a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) a licitar áreas de exploração de combustível fóssil em todo território nacional, contabilizando 368 blocos exploratórios de petróleo.

O licenciamento ambiental não previu uma série de riscos e impactos na qualidade da água do Rio Jacuí, responsável por 86,3% de aporte ao Lago Guaíba. A extração de carvão pode gerar envenenamento por mercúrio, chumbo e arsênio entre vários outros problemas.

Digão não à mina de carvão em São Sepé.
São Sepé é um dos 52 municípios do Rio Grande do Sul que estão em grande risco de exploração carbonífera.

A exploração do carvão envenena o ar, a água, o solo, as plantações e os animais. Causa doenças como câncer, malformação de fetos, doenças neurológicas  e fibrose pulmonar.

 

Senado aprovou o projeto de lei (PL) 2.963 de 2019, que permite a compra de terras rurais por estrangeiros. Vender nossas terras a grupos internacionais  interessados na exploração indiscriminada e no lucro facilita a destruição dos nossos recursos naturais, a expulsão de comunidades rurais e povos tradicionais, deixando um rastro de conflitos sociais e ambientais pelo caminho.

Assine a petição para a saída do ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles.

Vídeo de reunião ministerial revela caráter doloso de ações do ministro, o que configura desvio de finalidade

NOSSAS REDES

Nos encontre nas redes: @arayaraoficial

Endereço: Rua Gaspar Carrilho Junior, 001 - Bosque Gutierrez - Memorial Chico Mendes 80810210 Curitiba, PR.

Telefone: +55(41) 99845-3000

E-mail: arayara@arayara.org

CONTATO

E-mail: arayara@arayara.org

12 + 2 =